quarta-feira, 27 de março de 2013

Chuva de Março...!


Oiço as lágrimas pluviais...
Caem lá fora. E no vaivém das gotas...
Prendo um olhar infecundo e vazio
Paro e olho o escorrer do vento
As aves exibem-se nos beirais
E entre árvores, banham-se a esmo
Assim, como as lágrimas múltiplas nos dão a remissão...
Gotículas de chuva fina sopram... E molham-me o rosto, um rosto outrora
menina!
Hoje eu vejo que chove lá fora...
Vejo meu jardim de hortênsias gritarem por vida.

domingo, 24 de março de 2013

O Sonho ...!

Quando afirmavas que ainda não sabia sonhar...

Já eu abria subtilmente o olho e deliciava tudo à minha volta!

Eram incertezas de olhares discretos,
Onde o esquecimento das palavras e o cheiro das sílabas permaneciam em mim.
E esperei... esperei no local onde a brisa soprava em ti.
Tornando-me tua, num beijo nosso.

Permanecemos na nossa realidade desfocada de preconceito,
Onde nos tornamos únicos dentro da diversidade,
Simples e diferentes, como o sabemos ser.

Já não quero pensar, já não quero dizer...

quinta-feira, 21 de março de 2013

Talvez ... !

    

Talvez se tentasses, 
Talvez amadurecesses,
Talvez mudasses, 
Talvez se um carinho fizesses...
Às vezes, é só isso que o coração te pede,
Uma tentativa, actos maduros, mudanças...
UM SIMPLES GESTO DE CARINHO, 
Mas nada disso, 
Só respostas de mágoas incuráveis, incuradas...

Puta da Solidão...!



Estou a enlouquecer brandamente como se estivesse mergulhada em banho-maria.

Caminho de forma incerta.

Há quem seja duma geração estoica, se calhar também sou e ainda não me apercebi. Serei feita duma colecção de equívocos? Ou terei que ascender a Joana d’Arc do coração?

Deixei de me lamentar, ninguém tem obrigação de carregar as minhas penas.

Digo para mim mesma… vais ter que subir a puta da montanha senão levas com uma bomba pelos cornos
Isto digo eu para aligeirar a coisa. Há quem parta sem mais voltar e eu ainda aqui estou na gaiola conjugal entediada no compêndio da sorte.

PDS – puta da solidão.

Espio-me, sinto no ar o cheiro adocicado do sono profundo misturado com muito e bom sexo. Hummm….. Estou mesmo a sonhar.

Tempos se perdem nos intervalos enquanto converso sozinha, mesmo assim antecipo a sequência das existências e concluo:

És a pessoa mais indecisa que já conheci!




sábado, 16 de março de 2013

Intenção ...!



Somos meros figurantes da intenção…Pelas ruas, caminha com transeuntes cobertos de véus acinzentados. São memórias conspurcadas pelos resíduos silábicos que infernizam os silos do raciocínio. 

Corta os ventos gélidos onde somos brutalmente lançados às feras da ignorância impotentemente condenados ao proletariado hormonal. 

Lança-se nos campos da realidade, onde deslizam os vermes corrosivos em busca do consenso atacado por seres minúsculos da incoerência e cavalga num tabuleiro de peças desorganizadas, que escorregam na diagonal do engano do tempo perdido. Faz-se de assalta ao casulo onde se escondem os melaços amargos dos passos curtos que cortam o sabor doce da intenção dilacerada. 

Da  janela da intenção vê-se o mundo abstracto, incerto…

– A intenção era boa, mas não passou disso…