sexta-feira, 17 de maio de 2013

Sonhos Por Sonhar... !

Com o passar do tempo percebemos que há sonhos que deixamos de sonhar
Sonhos que foram interrompidos para sonharmos outros sonhos
As vezes é preciso mudar a direção do caminho, seguir outros rumos
Sonhar novos sonhos...

quarta-feira, 15 de maio de 2013

Versos Intimos




Vês! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro da tua ultima quimera.
Somente a ingratidão - esta pantera -
Foi tua companheira inseparável,

Acostuma-te à lama que te espera!
O homem, que, nesta terra miserável,
Mora, entre feras, sente inevitável
Necessidade de também ser fera.

Toma um fósforo. Acende teu cigarro!
O beijo, amigo, é a véspera do escarro,
A mão que afaga é a mesma que apedreja.

Se a alguém causa inda pena a tua chaga,
Apedreja essa mão vil que te afaga,
Escarra nessa boca que te beija!

(Augusto dos Anjos)





sexta-feira, 10 de maio de 2013

Perdi-me... !



Perdi-me nos meus sonhos quando acreditei no teu amor,
Quando acreditei que os teus pés caminhavam na minha direcção.
Quando acreditei que teus olhos olhavam para os meus e que tuas palavras (poucas), doces e lisonjeiras partiam do teu coração.
E neste infinito mundo dos sonhos acordei e descobri que os teus passos  desviavam-se de mim, que os teus olhos não me viam e que as tuas palavras partiam do engano.
Foi neste momento que me encontrei com realidade da vida e pude entender que sonhos são sonhos, e que tu foste apenas um sonho da realidade que eu um dia sonhei para mim.

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Insatisfação...!



Tanta palavra para dizer e que não digo
Tanto livro para ler e que não leio,
Tanta esperança para dar e que não dou
Tanta coisa, natureza, tanta coisa,

Tu puseste em mim para fazer e que não faço
Tanta flor para semear que não semeio
Tanta gente para abraçar que não abraço
Quero, crio e sonho
Mas a vontade não acompanha o pensamento.
Tanta noite para amar e que não amo,
Tanta coisa para saber e que não sei
Tanta desculpa de que nunca tenho tempo

Dá mais força às minhas mãos, ó natureza,
Há tanta história para escrever e que não escrevo,
Tanta ideia a defender que não defendo,
Tanto lugar para visitar que não visito.

Iguala as minhas mãos ao pensamento,
Torna a minha vontade mais veloz.
E tu verás, natureza, como consigo
Amar o meu amor como não amo,
Ler todos os livros que não leio
E dizer as palavras que não digo.

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Amor...!

Amor é palavra que inventamos para dar nome ao
Sol abstracto em torno do qual giram
Nossos pequeninos egos ofuscados, entontecidos, ritmados.

segunda-feira, 15 de abril de 2013

Momentos ...!





Existem momentos na minha vida que dotados de surpresas nefastas surpreendem-me e, os pintam de colorações cinzentas, negras e, amargas.

São instantes pautados de receios, interrogações, anseios, longos, ininterruptos de descanso em que a minha alma debilita-se, aniquila-se perante o móbil e, emoção sentida.

Instantes, dolorosamente, sentidos na incompreensão do entendimento da razão. Sempre que a dor os supera transmuta-os permitindo-me assemelhá-los às noites escuras, devolutas de Lua ou dias cinzentos e, fadados sem sol.