sexta-feira, 8 de junho de 2012

Silencio... !


Para o desejo enganar
Queria saber mentir
Despir-me totalmente da razão
Ignorar estilhaços de sonhos rasgados
Inverter o sentido do percurso da vida
Saborear incertezas...

Mas reajo
Transformo-me em muitas
Amordaço o peito
Para exaurir a sangria do nada
Do sentimento estripado
Do corpo que me conhece...

Hoje, opto pelo silêncio
Arrasto resquicios de uma dança
De corpos pautados sem partitura
Pragmatismo na brisa da noite
E deixo-me ficar...

Ignoro as lembranças
Refaço as minhas linhas
Traço um caminho
No mundo do vento

4 comentários:

Luis Miguel Inês disse...

O poema é muito lindo, a fotografia também...os pontos já não ficaram tão bem!
Bjs amiga.

Maria disse...

Obrigada meu querido!
Beijocas

Anónimo disse...

memórias...

Ass.
diabrete da sobreda

Maria disse...

Hello diabrete da sobreda.... memorias.... All the time.... Beijos nesse coração!