segunda-feira, 3 de outubro de 2011

EXALTAÇÃO PROFANA

Imagem provavelmente protegida pelos direitos do autor

A culpa bebe de mãos dadas
Com a exaltação profana de um bolo
Que adoça o ego da palavra envenenada
Estrofe desconexa para ser despenalizada

Abrigo de palavras perdidas sem serem ouvidas
Atiradas levianamente ao vento
Como uma voz que grita sem ser ouvida
Palavra sofrida, despida de preconceito

Grita por uma boca
A voz passiva de tempo não conjugado
Tempo perdido mas encontrado
A culpa uma exaltação profana






Sem comentários: