segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Doce Lamento !

Imagem provavelmente protegida com direitos de autor


Naquele momento supremo,
Sem dor e sem pudor,
Quero ouvir o doce lamento,
Sufocar os teus gritos,
Dominar a tua vontade,

Tapar a tua boca,
Quero seduzir-te,
Quero amar-te,
Amar-te amar-te...

Quero ouvir-te implorar
Um pouco mais de mim...
Naquele momento supremo,
Quero ouvir o doce lamento,

Amei-te...

9 comentários:

Cotovia disse...

...deste poema resultou um arrepio na cotovia.





Bravo!

O Profeta disse...

Mudei os meus mais profundos desejos
Vi reflectida em ti a ternura
Não há derrota no sonho
Não há revolta, apenas brandura

O julgamento dos teus fracassos
É feito numa lagoa sem azul
Um milhafre lança um pio de raiva
Que atinge o branco das casas do sul


Boa semana


Mágico beijo

Nilson Barcelli disse...

E soubeste fixar esse momento num belíssimo poema.
Gostei imenso.
Boa semana, beijo.

Jotas disse...

Os momentos ficam e não passam e isso está muito bem retratado neste lindo poema.

O Profeta disse...

És madeira verde
Ou apenas mulher perdida
Testemunha de berço feito de penas
Arca perdida da dor contida

Tudo isto é universo
Em límpida poça de água
Onde as conchas têm a forma de coração
Onde o sal afasta a mágoa

A ti que és minha amiga especial
convido-te a partilhar comigo o “sítio das conchas azuis”




Beijo azul

Nuno disse...

Gosto de vir ler os teus poemas inspirados, mesmo que sejam doces lamentos, ficam sempre os bons momentos.

bjs

Nuno

Jotas disse...

Amar é de facto o sentimento mais nobre, mas também o mais dificil.

rosa dourada/ondina azul disse...

Doce momento
ou
doce lamento?

Bela foto que ilustra bem este poema:)))


Beijinho,

Paulo disse...

humm comento, não comento....

Ok comento, Sensual, profundo, intenso, doce, invisivel, provocante, mágico e uma pitada de cumplicidade são assim as coisas mais rápidas que se me avizinham ao ler estas singelas linhas.

ternura faltou a ternura

Jocas