quarta-feira, 20 de agosto de 2008

Metade

Imagem protegida com direitos de autor.

Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio.
Que a morte de tudo que acredito não me tape os ouvidos e a boca.

E que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor e a outra metade... também."

E se amor é loucura; que a minha loucura seja perdoada.
Porque metade de mim é amor e a outra metade... também.

Porque metade de mim é o que eu penso... e a outra metade é vulcão...

Oswaldo Montenegro

4 comentários:

OUTONO disse...

Obrigado pela partilha.

Reli...e retenho um pormenor. Quanta verdade...

E continuaria, não fosse a vontade de ler "again"...e concluisse a meu gosto...

Beijo doce.

Lena disse...

Adorei ler. Não conhecia!

"Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio."

Vou lembrar-me mais vezes disto!!:)

Beijinho

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá Maria, muito bem...Excelente...
Beijo

Luís Nunes disse...

beijo