sábado, 9 de agosto de 2008

Meio homem... Meio lobo !

Imagem de Kenedy P. Araujo

Vem rastejar em noite de lua cheia
Implora porquês que não te respondo
Decretas a minha sina
Numa vida de penhora


Sangra no teu mundo
Afoga-te em tudo o que não queres ter
Vou fazer-te só, o que não queres ver
E vais gostar, quero-te assim força bruta

Sacrifica o teu ar, que te faz bem
Sufoca entre o corpo por ti traçado
Tortura os teus olhos dissimulados de sangue
Afoga-te em águas e cores da lua

E quando o luar te roer a alma
O sol nascer e te comer a pele
Quando fores ave amarrada
Vais voar no meu céu negro

Com bramidos que ensurdecem
Debando-me de tudo o que é teu
Que não nego e assim entrego
O meu corpo sem demora

E vais amar-me
Meio homem… meio lobo!

11 comentários:

micro cap stock disse...

im your favorite reader here!

lotto 649 disse...

Alla hu akhbar!!!

lotto 649 results disse...

Well for me its better to be more realistic.

O Profeta disse...

Errantes sentires percorrem
Este corpo nu de calor
Queda-se a vontade ao vento
Neste deserto de verde amor

Ai este grito contido
É lava rubra em minha garganta
Pio de pássaro preso às penas
Uma reza a fugir de alma santa


Boas férias


Mágico beijo

paulalee disse...

Olá, Maria, quanto tempo não venho aqui. Gostei do poema, dominador!

Bjs.

Lena disse...

:)

Vim deixar-te um beijo!

Nilson Barcelli disse...

Excelente poema cara amiga.
Muito forte, mas agradável de ler. O verdadeiro homem terá sempre uma parte de lobo...? Deixaste-me a pensar...
Já vi que levavas condutor...
Boa semana, beijinhos.

Nuno disse...

Meio homem meio lobo,que na sombra da lua cheia, procura a carne disimulada de sangue, que nao nega e se entrega no saciar de uma força bruta.

:)

bjs

Gato_malvado
meio homem meio gato lollll

Claudia Perotti disse...

Gostei imenso das tuas letrinhas!
Beijinhossssssss

Anónimo disse...

Viva a noite

A maior dor
é quando ela desaparece
e de mim se despede.

O olho branco
que impele,uivo
e perco a pele.

Besta, homem
que já não é,
mas guarda a fé.

Na noite o espírito
comanda,
o corpo engana.

Arrancaria carne
e ossos partia,
para não ver o dia.

PoesiaNegro

Anónimo disse...

Segredo

Não contes meu
vestido
que tiro pela cabeça

nem que corro os
cortinados
para uma sombra mais espessa

Deixa que feche o
anel
em redor do teu pescoço
com as minhas longas
pernas
e a sombra do meu poço

Não contes do meu
novelo
nem da roca de fiar

nem o que faço
com eles
a fim de te ouvir gritar

Gil