segunda-feira, 28 de julho de 2008

Fumo

Imagem prossivelmente protegida com direitos de autor

Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas;
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!



Florbela Espanca

Minha bagagem... Meu fardo!

Imagem possivelmente reservada com direitos de autor


Dentro da minha bagagem levo:
Amarras rumo ao norte
A sorte de amante crente
Promessas, promissórias
Desejos de alcançar a lua
Meu poente, meu acaso
Desejos horizontais
Quereres verticais
Glorias minhas, ardilosas
A arvore que plantei e o fruto que colhi…

No meu fardo carrego:
Um pé de rosa com espinhos
Meu gosto, meu desgosto
Juras malferidas, golpeadas
A demente lucidez
Meus feitos, sempre desfeitos
Meu universo que não passou
Desertos que me habitam
As interrogações dos sonhos que sonhei
A solidão noiva da dor…

A minha bagagem é leve
O meu fardo também!

domingo, 20 de julho de 2008

O Prometido É Devido !

Imagem protegida com direitos de autor - Tribos

E foi assim que, um dia
Sem ser pela calada da noite
Mas sim de dia
Eu, como quem apanha um susto,
Nesse imenso e veloz exercito (o teu)
Fiquei a olhar


Não senti dor, não senti remorso
O vento, que soprava a favor, levou a aldeia
Para bem longe da autoritária
E acalentou-te, em teu doce balanço...

Mas houve a mudança dos ventos
Sempre esperada, nunca prevista
A calmaria

E o nome lhe deste... ”Aki ha kem viva !!!!”.

sábado, 19 de julho de 2008

Desejo adiado !

Imagem possivelmente protegida com direitos de autor.


No sussurro da calma
Jorram lavas de esperança
Retenho a chama das tuas mãos
Acaricio as pedras da dúvida
Cravejo a alma de enganos
Desato a suavidade das palavras
E com uma dor contundente
Fecundo-me no silêncio
Do desejo adiado.

Gosto de ti…!

quarta-feira, 16 de julho de 2008

Promete-me !

Imagem protegida com direitos de autor.


Sei de cor
Os cantos do teu corpo
Fica em mim
Que o tempo urge
Promete-me
Que guardas e abraças
Todos os momentos
Que são nossos!...

segunda-feira, 7 de julho de 2008

(ºoº)


Blog encerrado para um merecido descanso...

Sonhos naufragados !

Imagem possivelmente protegida com direitos de autor.

Caminhamos por curvas rectas
Sobre a tela que pintamos
Com traços desconexos
Rabiscados de paixão
Que compomos com pinceladas
De pensamentos de maresia
Partilhados em trilhos salgados
Que cerceiam sonhos naufragados
Submersos na profundidade
De purpúreos oceanos
Dum voo embalado
Nas aguas da ilusão


Esculpimos feitiços
Num cálido destino
Que atormenta e assola
O inesperado prazer
Da mágica melodia
Presa a fios de torrentes
De inquietas algas
Que embalam a esperança
De um angelical sorriso
Onde guardamos
Num quadro inacabado
Duas vidas entalhadas no desejo.

sábado, 5 de julho de 2008

Todo o Tempo do Mundo !

Imagem possivelmente protegida com direitos de autor.


Podes vir a qualquer hora
Cá estarei para te ouvir
O que tenho para fazer
Posso fazer a seguir

Podes vir quando quiseres
Já fui onde tinha de ir
Resolvi os compromissos
agora só te quero ouvir

Podes-me interromper
e contar a tua história
Do dia que aconteceu
A tua pequena glória
O teu pequeno troféu

Todo o tempo do mundo
para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo

Houve um tempo em que julguei
Que o valor do que fazia
Era tal que se eu parasse
o mundo à volta ruía

E tu vinhas e falavas
falavas e eu não ouvia
E depois já nem falavas
E eu já mal te conhecia

Agora em tudo o que faço
O tempo é tão relativo
Podes vir por um abraço
Podes vir sem ter motivo
Tens em mim o teu espaço

Todo o tempo do mundo
para ti tenho todo o tempo do mundo
Todo o tempo do mundo

(Rui Veloso)

terça-feira, 1 de julho de 2008

Peça colorida !

Imagem possivelmente protegida com direitos de autor.


A vida inala um aroma irresistível,
Quente, vigoroso
Olho o mundo que nutre no meu corpo
É um filme que vejo
É a ilusão dos sonhos por realizar
Entrego-me de corpo e alma
Como um tema singular
Perco-me em obstáculos
Debulhados de espigas
Arrancadas grão a grão
Amordaçados pelo palco das saudades

Ao teu olhar fui buscar
Mil personagens encantadas
Todas elas enfeitadas
Para o meu coração representar
Uma peça colorida
Onde as luzes se apagam
As cortinas fecham-se
As palmas calam-se
Denunciando o fim
Dum sonho mal sonhado
Duma vida mal vivida