domingo, 4 de maio de 2008

Sempre foste minha !


Sempre foste minha

Aconchegaste-me em teu ventre

Carregaste-me, afagaste-me,

Pariste-me em silêncio

Pássaro de todas as horas

No ninho aquecias as palhas

Noites perdidas

Dias de fome

Sempre foste minha

Em momentos difíceis

Segredos desventrados

Alegrias desmedidas

Confissões perversas

Sempre foste minha

Em linhas incorrectas

Orientações discretas

Compreensão divina

Atitudes hipérboles

Hoje...

Exumo a minha mente

Inalo os meus sentidos

Perpetuo as nossas recordações

Seco as lagrimas

Beijo o tempo

Sempre foste minha

Até na morte...!

Mãe… Onde quer que estejas

Um beijinho

4 comentários:

Fernando Rodrigues disse...

Lindo miga
bjitos

Nuno disse...

Mãe é sempre Mãe, onde quer que esteja.


Bjinhos

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente...
Beijos

lgbolhares disse...

Bela e ternurenta homenagem!

Beijinho