sábado, 15 de março de 2008

Divorcio-me!


Divorcio-me de pessoas pretensiosas,
Fúteis, maliciosas
Que se acham no direito
De imaginar como certos seus conceitos
E preconceitos do puritanismo que detesto

Divorcio-me dos gananciosos
Insanos insatisfeitos
Que exaltam em seus anseios
Verdades e verdadeiros

Divorcio-me dos falsos
Supostamente verdadeiros
Que com suas tramóias
Enganam, distorcem, manipulam...
Par de sapatos trocados
Malandros convictos
Gulosos, sequiosos sem remorso
Profanos do amor

Divorcio-me dos ciúmes descabidos
Devassos de suposições
Doentios, dementes
Veneno activo
De amores insensatos

Divorcio-me dos julgamentos
Precipitados, irreais,
Subjectivos e impensados
Julgados e sentenciados
Sem direito a defesa
Juízes algozes.
Sapientes, omnipotentes
Presunçosos, prepotentes.

Submeto-me ao amor
Rendo-me ao momento sentido
Sincero, real, verdadeiro!

3 comentários:

Mari disse...

Olá Maria!!

Obrigada por sua visita, muito gentil.
Adorei a sua poesia. É linda mesmo!
Achei lindo o final dela...também gosto de amar, mas que seja sempre real, sincero e verdadeiro!!!!
Prazer!!!!
Mari
Venho te visitar!!!

beijos, beiijos, mari.

osátiro disse...

Divórcios bem aconselçháveis...

Anónimo disse...

Amiga


Este é um divórcio k começa mal.
Cheio de gananciosos e malandros..........................
Mas k acaba num amor verdadeiro.

Bjs