sábado, 15 de março de 2008

Desvelos!


Depois de tantas tristezas,
Tantas promessas e ausências,
Eu escrevo as tuas “certezas...”
Com aspas e reticências.

Em noites de nostalgia,
Quando a rimar eu me atrevo,
Tua ausência, em parceria,
Dita os versos que eu escrevo!

Nos braços da noite calma,
Entre lençóis e desvelos,
Sinto que afagas a minha alma,
Quando afagas os meus cabelos...

1 comentário:

Nuno disse...

Entre lençois e desvelos te encontro no atrevimento da noite em parceria de uma ousadia onde a tua alma afaga agora fora de aspas e reticências as minhas incertezas...

bjinhos.